EPAL apresenta "Projecto Luanda Gravitica"

A Empresa Provincial de Água de Luanda (EPAL) apresentou hoje, domingo, o projecto "Luanda Gravitica", uma alternativa para sustentar o abastecimento do líquido na capital do país, por via da adopção de medidas que tornarão possível o fornecimento por gravidade.

Apresentado na 33• edição da Feira Internacional de Luanda (Filda), vai reduzir o consumo energético e, consequentemente, os custos de exploração e manutenção, minimizando investimentos na construção de novos centros de distribuição de água através da reestruturação do sistema existente.

O projecto, com arranque previsto para 2018, apenas em Luanda, vai identificar zonas de altitude cujo declive do terreno permite a distribuição de água para os reservatórios ou pontos de entrega que abasteçam a comunidade, anunciou o engenheiro Kelson Domingos.

Na ocasião, informou que o mesmo vai acelerar a meta de alcance da auto-sustentabilidade da Empresa por via da redução significativa dos custos de exploração e manutenção do sistema, assim como vai reduzir as interrupções no fornecimento de água, em caso de cortes de energia.

Salientou que a implantação deste projecto vai encurtar as metas estabelecidas nos programas do governo para garantir a universalidade do acesso a água por via do aproveitamento dos centros de distribuição existentes nas zonas que serão abastecidas graviticamente.

A Feira Internacional de  Luanda (FILDA/2017), que termina domingo, conta com  a participação de 234  empresas, entre nacionais e estrangeiras.

O evento, que decorre sob o lema “Diversificar a Economia e Potenciar a Produção Nacional, visando uma Angola Auto-suficiente e Exportadora”, acontece  numa área de 16 mil metros quadrados, onde se destacam expositores dos sectores da indústria alimentar, comércio, financeiro, telecomunicações, indústria automóvel, petrolífera, máquinas e equipamentos, material de construção, artesanato, educação, hotelaria e turismo, instituições prestadoras de serviços, entre outros ramos.

No certame estão presentes  13 países, com destaque para  Portugal (com 23  empresas), China (13), Brasil (13) e Alemanha (4).

 

 

 

 

Angop